Make, Coisa e Tal - makecoisaetal.com.br
FILMES E ENTRETENIMENTO
Sexta - 08 de Abril de 2016 às 17:31
Por: Tina Szabados

    Imprimir


Acabei de ver todos os episódios de uma vez só! Tudo bem que a série é pequenininha. Mas o que me fez ver tudo, no mesmo dia, foi a forma como fiquei envolvida com a história. E como chorei, gente... Principalmente no final. A série é maravilhosa: encanta, emociona e faz refletir.

Independente da sua religião, indico uma olhadinha em "The Red Tent" (A Tenda Vermelha, em tradução livre), pelos seguintes motivos (sem spoilers, prometo!). Saca só:

1 - PERSPECTIVA FEMININA SOBRE O MODO DE VIDA DE MULHERES NA ÉPOCA DO VELHO TESTAMENTO

O enredo se passa no período do Velho Testamento da Bíblia, uma época em que as mulheres eram meras sombras de seus maridos. E tudo é contado por Dinah (Rebecca Ferguson, de The White Queen), a única filha de Jacó (Iain Glen, de Game of Thrones) com Léah (Minnie Driver, de About a Boy). A série relembra sua trajetória, apresenta o cotidiano das mulheres nessa época e mostra a perspectiva feminina sobre acontecimentos relatados na Bíblia - como, por exemplo, a ascensão de José - seu irmão - a governador do Egito, entre outros fatos.

2 - FORTE APELO À QUESTÕES LIGADAS AO FEMINILIDADE

A tenda vermelha era o local onde as mulheres se reuniam, à cada Lua Cheia há mais de 3 mil anos atrás para passar pelo período menstrual e também era o local onde davam à luz e cultivavam rituais e laços de irmandade. Na série a tenda vermelha também é o local onde Dinah passa toda a sua infância aprendendo as tradições da tribo e rodeada por diversas mulheres - já que seu pai tinha quatro esposas, é o ambiente chave da história. Quando Dinah cresce, passa por uma situação extrema (sem spoilers, galera) que causa uma grande perda e muda o destino de toda a sua família para sempre...

3 - INSPIRADA EM UM BEST-SELLER

O romance A Tenda Vermelha, no qual The Red Tent é inspirada, já foi traduzido para 27 idiomas e vendeu milhões de cópias pelo mundo. A obra da autora Anita Diamant faz parte da lista dos dez livros mais vendidos de importantes jornais, como o The New York Times.

4 - BUSCA REFORÇAR IDEAIS DE AMIZADE E COMPANHEIRISMO FEMININOS

Em uma entrevista, a autora afirmou que não vê The Red Tent como uma história judaica, mas sim como um conto de um passado compartilhado por todos, que deve ser lembrado. "Vivemos em um mundo onde a dignidade da mulher não é celebrada, onde as amizades femininas são ridicularizadas, como em 'Garotas Malvadas' e 'Frenemies", observou Diamant. "Acho que amizades femininas precisam ser libertados e contadas".

5 - TEM ATRIZ BRASILEIRA NA PRODUÇÃO NORTE AMERICANA

Na adaptação do livro para a TV, quem interpreta Raquel - irmã de Léah e uma das esposas de Jacó é a atriz Morena Baccarin, indicada ao Emmy de melhor atriz coadjuvante por sua personagem Jessica na série de sucesso Homeland.

>> SE LIGA EM DOIS DOS TRAILERS OFICIAIS:


A série é pequenininha (são 2 episódios) e está disponível no Netflix (onde eu vi e já classifiquei com 5 estrelas).

Se você gosta de filmes com essa pegada histórica (inspirada em fatos reais), emocionantes, emotivos e que nos levam a pensar - mesmo depois do filme já ter acabado - não pode deixar de assistir. Indico muito!

Depois me contem o que acharam, ok?

SIGAM-ME TAMBÉM NAS REDES SOCIAIS:

Facebook, Instagram, Youtube, Twitter, Google+ e Pinterest





Autor

Tina Szabados
contato@makecoisaetal.com.br

Tina Szabados é graduada em Jornalismocom especialização em Comunicação Empresarial pela Universidade Cândido Mendes. É coordenadora de Comunicação na empresa Enfática Comunicação & Marketing, tem 38 anos e é mãe de um garotão de 11 anos de idade e de um bebezão de dois anos! Apesar de já ter trabalhado em várias áreas da comunicação, é fascinada pela imprensa feminina, onde atua como editora no site Make, Coisa e Tal.

Comentários (4) Faça um comentário

  • Tina
    É verdade, Camila! Como o filme é baseado no livro - que é contemporâneo, a história consegue trazer a reflexão para os dias de hoje. Faz a gente pensar em todos os avanços da mulher na Sociedade, o quanto ainda tempos para percorrer para chegar à igualdade entre os sexos, a forma como vivenciamos as relações com outras mulheres de nosso convívio... Enfim! Tem muita coisa agregada. Muito para se pensar! E a história também é bem emocionante, né? Que bom que gostou do filme! Beijos!!!

    Sexta - 15 de Abril de 2016 às 10:24h Responder
  • Tina
    Que bom que gostou, Rosana! Obrigada por entrar aqui para deixar o teu depoimento, querida! Beijos!

    Sexta - 15 de Abril de 2016 às 10:09h Responder
  • Camila
    Muito mara! Achei perfeita! Legal como faz a gente refletir sobre coisas do nosso dia a dia, né?

    Sexta - 15 de Abril de 2016 às 10:08h Responder
  • Rosana
    Eu vi teu post aqui ontem de noite e corri pra televisão. Assisti e amei. Muito boa mesmo!

    Sexta - 15 de Abril de 2016 às 10:06h Responder

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://makecoisaetal.com.br/noticia/440/visualizar/